terça-feira, julho 05, 2016

Como criar um anúncio no Facebook? – Objectivos da campanha

Agora que decidiu começar a publicitar no Facebook, há que tomar uma série de decisões. Antes de mais: qual é o objectivo da sua campanha?


O Facebook agrupou os objectivos em 3 tipos principais: alcance, consideração e conversão. De seguida vemos em que consiste cada um.


Alcance: anúncios associados a este tipo de objectivo permitem aumentar o número de pessoas que conhecem a sua empresa. De momento, existem 4 tipos de anúncios que pode criar neste âmbito:

- Alcança pessoas que estão perto do teu negócio: útil para empresas que têm presença física e que pretendem chegar a clientes que estejam próximos da sua localização;

- Promove as tuas publicações: quando uma publicação é importante e/ou obteve um volume de interacção interessante, pode ser útil promovê-la para que chegue a mais pessoas (promover conteúdos de qualidade pode ser importante para chegar a mais pessoas, quer já estejam ou não em contacto com a empresa).

- Aumentar a divulgação da marca: este tipo de anúncio será mostrado a pessoas que o Facebook considera terem maior probabilidade de partilhar e divulgar o conteúdo da sua marca.

- Promover a tua página: útil para aumentar os seguidores da página/para obter gostos de página.

Consideração: este tipo de objectivo permite obter clientes potenciais/leads para a sua empresa. De momento, existem 5 tipos de anúncios que pode criar neste âmbito:

- Promover a participação no evento: para obter maior interacção com um evento criado/para que mais pessoas vejam e respondam ao evento.

- Recolher leads para o teu negócio: permite recolher informações das pessoas (ex.: nome, email, telefone e/ou outro tipo de informação), motivar a subscrição de newsletters, etc.. A recolha da informação de potenciais clientes é muito importante, pelo facto de, só assim, poder contactar directamente os seus clientes potenciais.

- Visualizações de vídeo: útil para divulgação de conteúdos de vídeo que tenham informação importante e/ou tenham obtido bons níveis de interacção.

- Obtém instalações da tua aplicação: interessante para divulgar e obter maior número de instalações da aplicação possível.

- Envia pessoas para o teu site: se já tem site, este objectivo é particularmente interessante para reencaminhar clientes para lá. Assim, para além de conseguir maior volume de tráfego, vai também tornar possível a criação de novos públicos no Facebook, tais como retargeting audiences ou lookalike retargeting audiences relativas ao seu site.   

Conversão: este tipo de objectivo permite-lhe atingir clientes com maior probabilidade de realizar a conversão pretendida, nomeadamente:

- Faz com que as pessoas reclamem a tua oferta: se tem alguma campanha/promoção a decorrer, a escolha deste objectivo permite que as pessoas com maior probabilidade de a reclamarem a vejam.

- Aumenta conversões para o teu site: ideal se pretende chegar a clientes com maior probabilidade de realizar uma compra, pedir um orçamento, etc.

- Aumenta interacçoes com a tua app: útil para empresas que têm aplicações e pretendem aumentar a respectiva interacção.

Conclusão
O sucesso da sua campanha publicitária dependerá, entre outras coisas, do facto do objectivo seleccionado estar em conformidade com o que pretende. 

Precisa de ajuda na criação de anúncios?

Eu posso ajudar! Contacte-me!

terça-feira, janeiro 26, 2016

Como criar conteúdo relevante para a sua audiência

“O conteúdo é a nova publicidade.”

Em web marketing, “conteúdo” é qualquer informação disponível electronicamente. Para ser relevante, o conteúdo deve ser interessante e valioso para quem se dirige. 

Portanto, é obrigatório criar conteúdo que apele à sua audiência e que satisfaça as suas necessidades. Para isso deve compreender a sua audiência: já criou a sua Buyer persona
DICA: Se já tem site e já o associou, por exemplo, ao Google Analytics (também o pode fazer com o Facebook audiences), analise o perfil de quem o visita – qual é a sua localização, sexo, idade, nível de educação, nível de rendimento, interesses, etc.

IMPORTANTE: Apesar de poder estabelecer uma ligação com o produto/serviço, o conteúdo não deve ter como principal objectivo publicitá-lo

Com isto em mente, pode começar a criar o seu conteúdo!

1. Defina o objectivo pelo qual pretende criar conteúdo:
a.     Gerar tráfego?
b.    Gerar leads de qualidade?
c.     Concretizar vendas?
d.    Outro.

2. Crie conteúdo tendo em mente o alcance do objectivo que definido. De entre as suas ideias:
a.    Qual o ajudará a atingir o objectivo mais facilmente?
b.      Sobre que tópico está melhor preparado?
c.    Consulte fontes/exemplos: Que fontes suportam a sua ideia? Cite exemplos - podem reportar à sua própria experiência.

3. Defina o tipo de conteúdo que melhor comunica a sua ideia:
a.    Texto
b.      Foto
c.      Video
d.     Gráfico
e.      Outro.

4. Dirija o conteúdo a uma pessoa. Imagine a pessoa que está a ajudar e escreva para ela.

5. Escreva um óptimo titulo. Se necessário, gaste tanto tempo a criar o título como o próprio conteúdo. Crie um título orginal, interessante e chamativo para a sua audiência.

6. Edite: Esteja atento a erros de gramática e pontuação. Certifique-se de que os seus parágrafos são curtos e estão bem formatados – as frases chave estão a negrito?

7. Publique e peça feedback!

8. Dada a imensidão de conteúdo criado diariamente, para atingir o público que pretende, deve promover o conteúdo.



Precisa de ajuda na criação de conteúdos?

Eu posso ajudar! Contacte-me!

domingo, janeiro 17, 2016

Como funciona o fúnil de vendas no Facebook


O funil de vendas esquematiza o percurso teórico que o consumidor percorre até efectuar uma compra: no topo encontram-se todos os consumidores potenciais (leads) e no fundo os clientes (consumidores que efectivamente efectuam a compra).

Se vende online, uma das perguntas a que deve responder é: quão eficiente é o meu funil de vendas? 

No exemplo que se segue, uma página publica determinado conteúdo via Facebook e espera que, através do alcance orgânico, sejam geradas vendas.

Este funil de vendas é pouco eficiente fundamentalmente porque a concretização da venda depende:
1. De um conteúdo que é dirigido a TODOS os fãs;
2. Do alcance orgânico da página de Facebook que, normalmente, é inferior a 10% dos fãs.

Apenas uma pequena percentagem de leads se torna efectivamente cliente (neste exemplo foram geradas apenas 4 vendas/perderam-se 4997 pessoas no processo!). No entanto, podemos melhorar a performance do funil de vendas criando diferentes tipos de conteúdos para diferentes tipos de público, conforme esquematizado abaixo.


IMPORTANTE:
1. Dirija os seus conteúdos/anúncios a quem quer vender. Especificamente no que aos anúncios respeita, crie anúncios diferentes para cada uma das suas buyer personas.
2. Aproveite o Facebook para:
a. Analisar que conteúdo tem a melhor performance;
b. Gerar tráfego para o site (tráfego proveninente de anúncios dirigidos a leads de qualidade!);
c. Analisar, entre outros, custo por conversão e ROI.

Precisa de ajuda para tornar o seu funil de vendas do Facebook mais eficiente?

Eu posso ajudar! Contacte-me!

sexta-feira, janeiro 15, 2016

Como construir a buyer persona para o seu produto/serviço

A buyer persona é uma personagem fictícia detalhada que caracteriza o público-alvo do seu produto/serviço, o seu cliente ideal. O dossier da buyer persona inclui informação demográfica e comportamental. É fundamental identificar e perceber quem é essa buyer persona porque é a ela que deve dirigir todo o conteúdo que cria – site, campanhas de marketing, publicidade, etc.

Como criar a buyer persona?

Analise a informação que tem sobre os seus clientes – o perfil demográfico é importante (localização geográfica, idade, sexo, etc.) mas não basta - e identifique as suas necessidades de que precisam, o que procuram, quais são os seus interesses/sonhos/medos, quais são as suas preocupações, como pode ajudá-los.

Utilize as redes socais (ex. Facebook) ou o Google analytics para obter mais informação.

Encontre características comuns entre os leads* que valoriza e os seus clientes:
Que hábitos, motivações, estilo de vida os tornam únicos?
Que consumidores geram mais ROI (Return on Investment)?
De onde chegam os seus top leads?
Quem interage com a empresa nas Redes Sociais? Que informação revelam acerca da sua personalidade?
Quem responde aos CTA’s (call to action)?
*Leads são consumidores potenciais: alguém que demonstra interesse no seu produto/serviço, que chega a si através das suas campanhas de marketing/publicidade ou que foi referenciado por outros clientes.

Exemplo de buyer persona da Munro American



Recomenda-se que crie dois a quatro perfis de buyer personas porque:
1. é raro um produto/serviço beneficiar apenas um tipo específico de pessoa;
2. criar personas demasiado abrangentes pode ser limitador, pois podem não representar bem a sua audiência;
3. criar personas demasiados específicas pode excluir importantes membros da audiência. 

O perfil deve ser suficientemente longo ao ponto de descrever um retrato preciso da sua buyer persona mas suficientemente curto de forma a tornar fácil a sua utilização no processo de marketing.

Observações finais
  • A informação que vai recolher não é estanque. Adicione informação especificamente pertinente para a sua audiência, mercado, indústria – ex.: se o salário e hobbies forem importantes, adicione essa informação ao perfil; se não, substitua essa informação por outra mais relevante.
  • Também pode criar uma ou duas negative personas, representativas das pessoas que não estarão interessadas no seu produto/serviço. Estas personas são aquelas em que NÃO DEVE alocar os seus esforços de marketing.
  • Criar e compreender estas personas vai permitir que foque os seus esforços na audiência ideal e criar mensagens de marketing que lhes sejam apelativas.
  • IMPORTANTE: estas personas podem mudar com o tempo. À medida que aprende mais sobre os seus consumidores, reavalie as suas buyer personas.


Precisa de ajuda para criar buyers personas e/ou para recolher dados, por exemplo, através do Facebook?

Eu posso ajudar! Contacte-me.

quinta-feira, janeiro 14, 2016

Porque é que publicitar no Facebook é mais vantajoso do que no Google

O Google adwords é um dos grandes feitos da publicidade das últimas décadas: seleccionando as palavras-chave ideais, as empresas podem chegar aos consumidores que já estão interessados no seu produto.  

Mas hoje em dia o tempo passado a utilizar apps é cada vez maior face ao tempo passado a pesquisar no Google ou mesmo a ver televisão, sendo o Facebook uma das aplicações mais utilizadas.  

Ao contrário do Google, as pessoas não usam o Facebook com o objectivo de tomar decisões acerca dos produtos que querem comprar. Usam o Facebook para comunicar com amigos, jogar, consultar conteúdo que lhes é relevante ou aderir a eventos. Ou seja, os utilizadores do Facebook estão relaxados, em lazer. Esse é o momento ideal para lhes apresentar o seu produto/serviço.

Publicitar quando o consumidor já decidiu adquirir algo (modelo Google adwords) é menos eficaz do que publicitar enquanto o consumidor está relaxado, a sonhar (modelo Facebook ads).

O Google foca-se em satisfazer a procura – quando os consumidores pesquisam algo que querem, as empresas pagam para que os seus produtos lhes sejam mostrados. Este modelo é cada vez menos relevante. 

O novo modelo é baseado na geração de procura: as empresas apresentam os seus produtos sem que os consumidores estejam a pesquisar sobre isso. Afinal: 
1. cada vez passamos mais tempo em dispositivos móveis face a computadores e 50% dos utilizadores do Google não pesquisam através de dispositivos móveis;

O Facebook é uma ferramenta essencial neste domínio, já que nos permite direccionar a publicidade, não só de acordo com características geográficas e demográficas, mas também de acordo com os interesses dos consumidores. Para além disto, permite-nos ainda analisar a performance das nossas campanhas publicitárias. Senão vejamos:

1. Os utilizadores da rede social fornecem imensa informação sobre si e, ao utilizar o Facebook ads, podemos utilizar grande parte dela seleccionando o nosso consumidor alvo de acordo com o seu país, cidade, idade, sexo, profissão, estado civil, línguas que domina, nível de educação, interesses, se são fãs da nossa página, etc. Ora, se a publicidade é mais eficaz quando é criada à imagem do perfil do consumidor em vez das suas características demográficas, esse deve ser o nosso objectivo. 

2. O Google serve apenas uma parte do funil de vendas: a base. Os consumidores querem algo, pesquisam sobre isso e eventualmente clicam no anúncio do seu produto/serviço. Utilizando o Google adwords não está a fazer muito pelo topo do seu funil de vendas. Ou seja, não pode gerar procura com anúncios de texto que apenas surgem quando alguém já procura algo. Já o Facebook dá-nos a possbilidade de criar Awareness e interesse no nosso produto/serviço. O Google pode ser útil quando o consumidor já conhece o nosso produto/serviço, mas o Facebook é mais útil quando isso ainda não acontece. 

3. Os consumidores preferem saber de produtos/serviços através de conteúdo do que através de publicidade. Ou seja, 70% dos consumidores ficarão desiludidos se o que apresenta na sua página é semelhante ao que apresenta no Google. Apesar do Facebook não ser o único local onde podemos publicitar o nosso produto/serviço através de conteúdo, é o mais popular. 

Para além disto, de acordo com Ben Thompson, enquanto o Google continua a ser extremamente importante, com o tempo ficará para trás. A search advertising é a sua base e são muito bons nesta área. Mas a native advertising é melhor.  Este é o seu gráfico:

Estas são as principais razões pelas quais deve começar a publicitar no Facebook face ao Google. Se quer ser bem sucedido tem de estar onde as pessoas estão, criando native advertising.


Precisa de ajuda para publicitar no Facebook? 
Eu posso ajudar! Contacte-me.

sábado, maio 12, 2012

Heroína por uns minutos...

... foi como me senti ontem depois de sair do trabalho!

Já tinha dito por aqui que quando saio do trabalho passo por um jardim de infância antes de chegar ao estacionamento onde se encontra o meu (magnífico!) Silver. Ontem estava a meia dúzia de passos de começar a subir a super ponte que me separava do meu veículo quando uns três meninos do jardim de infância começaram a correr para a rede, na minha direcção.

"Senhora! Senhora! O (não sei quantos) atirou a bola por cima da rede! Pode ir buscá-la? Está ali! É a amarela!!!" E eu respondi que sim enquanto me desviava do meu caminho. O tal miúdo que tinha feito a asneira  já ia a correr em direcção às senhoras sentadas no canto do jardim (educadores, auxiliares?) quando o que me  fez o pedido disse cheio de orgulho "Eu já pedi a esta senhora!". Atirei a bola para dentro, apanharam-na e fizeram uma festa.

Começava a subir a ponte quando uma das senhoras perguntou se já tinham agradecido. O que me tinha feito o pedido disse "Obrigado!!!" e um outro disse "Eu obrigado também!". E foi giro ser necessária por momentos.

terça-feira, abril 10, 2012

Momento do meu dia

Algures em Convent Garden à entrada de um bar, o segurança perguntar pela minha idade, dado que menores de 21 não podem entrar.

(Não sei se o senhor era míope mas mesmo assim gostei muito!)